Normal view MARC view ISBD view

Chemistry of brazilian green coffee and the quality of the beverage, 3: Soluble proteins

by Amorim, H.V; Teixeira, A.A; Melo, M; Cruz, V.F; Malavolta, E.
Publisher: Jul-Set 1975Subject(s): COFFEA ARABICA | CALIDAD | BEBIDAS | PROTEINAS | ANALISIS QUIMICO | BRASIL | MUNDO NOVO | CALIDAD DE LA BEBIDA | COMPOSICION DE LA BEBIDA | COFFEA ARABICA | QUALITY | BEVERAGES | PROTEINS | BRAZIL | COFFEA ARABICA | QUALITE | BOISSON | PROTEINE | BRESIL In: Turrialba (IICA) v. 24(1) p. 304-308Summary: Amostras de café arabica beneficiado (var. "Mundo Novo") colhidas no mesmo ano em diferentes regioes do Estado de Sao Paulo e Minas Gerais, Brasil, foram classificadas quanto {hooka} qualidade da bebida por provadores profissionais do Instituto Brasileiro do Café. Seis amostras de Café Mole, 6 de Duro, 6 de Riado e 6 de Rio foram analisadas para nitrogenio total e proteínas solúvies em tampao fosfato 0,01 M. pH 7,0, NaCl a 10 por cento e NaOH a 1 por cento. A analise estatistica revelou que o café Rio possuia um menor teor de proteina soluvel em NaOH a 1 por cento que o café Mole e Duro. Para as proteina soluveis em NaCl a 10 por cento o café Rio só diferenciou-se do café Duro. Pelos dados publicados anteiormente a respeito dos ácidos clorogenicos, fenóis totais e atividades enzimáticas em cafés que diferem na qualidade da bebida, e os encontrados neste trabalho, uma hipótese das reaçoes que provavelmente ocorram no processo de deterioraçao do café, é apresentada. Tal hipótese envolve a atividade de glicosidases e polifenol oxidase levando {hooka} produçao de quinonas que reagem com proteínas, insolubilizando-as nos cafés Rio
    average rating: 0.0 (0 votes)
No physical items for this record

++23 ref. Sum. (En, Pt)

Amostras de café arabica beneficiado (var. "Mundo Novo") colhidas no mesmo ano em diferentes regioes do Estado de Sao Paulo e Minas Gerais, Brasil, foram classificadas quanto {hooka} qualidade da bebida por provadores profissionais do Instituto Brasileiro do Café. Seis amostras de Café Mole, 6 de Duro, 6 de Riado e 6 de Rio foram analisadas para nitrogenio total e proteínas solúvies em tampao fosfato 0,01 M. pH 7,0, NaCl a 10 por cento e NaOH a 1 por cento. A analise estatistica revelou que o café Rio possuia um menor teor de proteina soluvel em NaOH a 1 por cento que o café Mole e Duro. Para as proteina soluveis em NaCl a 10 por cento o café Rio só diferenciou-se do café Duro. Pelos dados publicados anteiormente a respeito dos ácidos clorogenicos, fenóis totais e atividades enzimáticas em cafés que diferem na qualidade da bebida, e os encontrados neste trabalho, uma hipótese das reaçoes que provavelmente ocorram no processo de deterioraçao do café, é apresentada. Tal hipótese envolve a atividade de glicosidases e polifenol oxidase levando {hooka} produçao de quinonas que reagem com proteínas, insolubilizando-as nos cafés Rio

Click on an image to view it in the image viewer