Normal view MARC view ISBD view

Avaliacao de clones de cacaueiro quanto a resistencia a Phytophthora spp.: inoculacao en hastes

by Pinto, L.R.M; Silva, S.D.V.M; Braga, M.C.T; 22. Congresso Brasileiro de Fitopatología Recife, PE (Brasil) 10-14 Jul 1989.
Publisher: Jul 1989Subject(s): THEOBROMA CACAO | CLONES | PLANTULAS | PHYTOPHTHORA | INOCULACION | ENFERMEDADES FUNGOSAS | RESISTENCIA A LA ENFERMEDAD | INOCULACION | THEOBROMA CACAO | CLONES | SEEDLINGS | PHYTOPHTHORA | INOCULATION | FUNGAL DISEASES | DISEASE RESISTANCE | INOCULATION | THEOBROMA CACAO | CLONE | PLANTULE | PHYTOPHTHORA | INOCULATION | MALADIE FONGIQUE | RESISTANCE AUX MALADIES | INOCULATION In: Fitopatología Brasileira (Brasil) v. 14(2) p. 142Summary: Plantulas de cacaueiro provenientes da propagacao vegetativa dos clones CAS 1, CEPEC 13, EET 59, ICS 1, MA 15, OC 61, P 7, PA 30, PA 150, R 41, SIAL 88, SIAL 505, SPA 17 e UF 650 tiveram suas hastes inoculadas com P. capsici, P. palmivora e P. citrophthora. Aos 18 dias avaliaram-se as áreas das lesoes. Os efeitos de clone, espécie de Phytophthora e a interacao clone x espécies foram significativos ao nível de 1 por cento de probabilidade. Pelo teste de Tukey a 5 por cento de probabilidade pode-se verificar a superioridade dos clones P 7 e MA 15 como os mais resistentes (áreas de lesao iguais a 2,2 e 2,6 cm2, respectivamente); os de nível intermediário foram os clones CEPEC 13, CAS 1, PA 30, UF 650, SIAL 88, EET 59 e SIAL 505. Os mais suscetíveis foram PA 150, ICS 1, OC 61 e R 41. Houve alguma correspondencia entre estes resultados e aqueles obtidos anteriormente em hastes de plantulas de progenie de clones cruzadas com um progenitor comum, assim como em resultados de inoculacao em frutos, principalmente os clones P 7 (resistente) e o R 41 (suscetivel).
    average rating: 0.0 (0 votes)
No physical items for this record

++ Sólo sum.

Plantulas de cacaueiro provenientes da propagacao vegetativa dos clones CAS 1, CEPEC 13, EET 59, ICS 1, MA 15, OC 61, P 7, PA 30, PA 150, R 41, SIAL 88, SIAL 505, SPA 17 e UF 650 tiveram suas hastes inoculadas com P. capsici, P. palmivora e P. citrophthora. Aos 18 dias avaliaram-se as áreas das lesoes. Os efeitos de clone, espécie de Phytophthora e a interacao clone x espécies foram significativos ao nível de 1 por cento de probabilidade. Pelo teste de Tukey a 5 por cento de probabilidade pode-se verificar a superioridade dos clones P 7 e MA 15 como os mais resistentes (áreas de lesao iguais a 2,2 e 2,6 cm2, respectivamente); os de nível intermediário foram os clones CEPEC 13, CAS 1, PA 30, UF 650, SIAL 88, EET 59 e SIAL 505. Os mais suscetíveis foram PA 150, ICS 1, OC 61 e R 41. Houve alguma correspondencia entre estes resultados e aqueles obtidos anteriormente em hastes de plantulas de progenie de clones cruzadas com um progenitor comum, assim como em resultados de inoculacao em frutos, principalmente os clones P 7 (resistente) e o R 41 (suscetivel).

Click on an image to view it in the image viewer